domingo, 4 de março de 2012

Limites e Fronteiras


Os países  apresentam limites que os separam dos vizinhos. Esses limites indicam os lugares onde termina o território de um país e começa o de outro. 


O termo limite é muitas vezes utilizado como  sinônimo de fronteira. Contudo a ideia de fronteira é mais apropriada para designar uma faixa do território de um país que se estende ao longo da linha limite.


Os limites são estabelecidos, na maioria das vezes, por acordos e tratados entre dois ou mais países.  Por meio desses acordos, são criadas as linhas imaginárias que podem ser definidas por características naturais ou artificiais.


Vejamos:


Limites Naturais: são aqueles que não foram criados pelo homem. Exemplos: rio, florestas, bosques, montanhas, cachoeiras, etc., podem separar um lugar do outro.
Limites Artificiais: São os criados pelo homem. Exemplos: ruas, avenidas, postes, placas, muros, paredes, cercas, linhas imaginárias, etc., podem separar um lugar do outro.

Devemos distinguir os dois termos que impropriamente são utilizados como sinônimos:

LIMITE:  está ligado ao uma concepção precisa, linear e perfeitamente definida no terreno.
FRONTEIRA: É mais abrangente e se refere a uma região ou faixa ao longo do limite
                                                               (Mapa fonte: caderno do aluno 6ª/ 1º bimestre - SEESP)
Fazer fronteira com muitos países, como no caso do Brasil pode  apresentar:

Vantagens: facilita a formação de blocos comerciais com os países próximos, a fim de facilitar o processo de produção, importação e exportação de mercadorias.

Desvantagens: dificuldade do governo para controlar e fiscalizar as fronteiras terrestres, tentando impedir o tráfico de armas e drogas, o contrabando e a imigração ilegal.



(Fonte:   LUCCI, Elian Alabi e BRANCO, Anselmo Lazaro.  Geografia Homem & Espaço  7º ano Capítulo 2 – Brasil: formação territorial e questões ambientais )

15 comentários: