quarta-feira, 9 de março de 2011

Planisfério de Cantino

(Planisfério de Cantino 1502)
 fonte: google

Há cerca de 500 anos, entre setembro e outubro de 1502, o Brasil aparecia representado pela primeira vez em um mapa, que ficaria conhecido como o mapa de Cantino. O nome é esse, mas não foi Alberto Cantino, um espião italiano, que o desenhou. Na verdade, não se sabe ao certo o seu autor. Mapas náuticos também chamados de portulanos eram segredos valiosíssimos. Pagavam-se fortunas e empregavam-se todos os métodos possíveis para obtê-los. Como se diz hoje eram segredos industriais. Sim, pois as navegações eram a grande indústria do século XVI. E os mapas, o caminho mais seguro era alcançá-las. Por isso, um italiano, Hércule de Este, o duque de Ferrara, estava disposto a tudo para conseguir um mapa do misterioso e cobiçado Novo Mundo. Para isso, ele pediu ajuda a um espião, Cantino. Ele teria subornado um alto funcionário lisboeta, que fez uma cópia do mapa, recebendo, em troca doze ducados de ouro (quase uma fortuna na época). Com 105 x 220 cm. O Mapa de Cantino é o mais antigo planisfério. O traçado de cerca de 4000 quilômetros do litoral brasileiro, ainda era incorreto, mas nosso país já era representado com papagaios e florestas. Porém, se o tão cobiçado mapa chegou às mãos do duque de Ferrara, ninguém sabe. Nesse ponto, a história deu um pulo de vários anos e, por circunstâncias curiosas, só vai se saber dele novamente em 1859. Nesse ano, ao visitar uma salsicharia, o italiano Giuseppe Boni, diretor da Biblioteca de Modena (Itália), teve a atenção atraída para os estranhos traçados da cortina do lugar. Ao analisar com cuidado o material veio a surpresa: tratava-se do Mapa de Cantino original. Não se sabe ao certo como ele foi parar lá, mas hoje ele se encontra na própria biblioteca de Modena, na Itália. Além de pioneiro, nosso mapa alimenta uma polêmica. Alguns pesquisadores afirmam que em 1500 Portugal não descobriu o Brasil e sim tomou posse de terras que já conhecia, antes que outro país o fizesse. Como argumento eles relatam que, entre 1500 e 1502 os descobridores não tinham explorado todo trecho de litoral que aparece desenhado no mapa. "Antes disso, eles até já conheciam o rio Amazonas eu chamavam de rio oceano. Só que faziam tudo às escondidas, por causa da política de segredo de rei de Portugal", conta a historiadora Claudia Maria Brito dos Santos. Já Wilma Terezinha F. de Andrade também historiadora, não concorda com essa versão. "Nada disso foi provado até hoje. O Mapa de Cantino é baseado em expedições feitas por Portugal a partir de 1500, para que mais detalhes de nossa terra fossem descobertos" conclui. Polêmicas à parte, o fato é que a História do Brasil cruzou, um dia, com um modesto estabelecimento comercial italiano, uma salsicharia, onde o dono não viu serventia a não ser transformá-la em cortina.

Pelo seu grande significado, o planisfério de Cantino é especialmente representativo de uma época fervilhante em descobertas e conquistas não só geográficas, como científicas.
Constitui, por isso, um dos raros exemplares sobreviventes de convulsões políticas e econômicas, sendo um testemunho importante do passado.
 (Jornal A Tribuna – caderno D3 - Ciência & Meio Ambiente-Segunda-feira, 07/10/2002)

Um comentário: